segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Russos VS Mundo

Ótima segunda-feira!

   Ou talvez não seja tão feliz, porque todas as manhãs, quando leio as notícias ultimamente, encontro uma nova história sobre o blitz de propaganda da Rússia em 2016, e como ela se estendeu mais e mais do que alguém pensou anteriormente.

   O episódio de hoje da interferência das eleições apoiadas pelo Kremlin é cortesia do Google, onde os pesquisadores internos descobriram que as operárias russas usavam suas plataformas - incluindo o YouTube, o Gmail e a busca do Google - para espalhar a desinformação até a vitória de Donald Trump em novembro.

   Isso é de acordo com um relatório do Washington Post que citou pessoas familiarizadas com a investigação da empresa, e você sabe que as pessoas familiares geralmente sabem do que estão falando. Aparentemente, os russos gastaram muito dinheiro para anunciar nas plataformas do Google.

   Esta notícia, é claro, segue as revelações de que o Facebook foi um verdadeiro terreno fértil para as campanhas de propaganda ligadas à Rússia. E nessa nota, você pode ter perdido esta história na semana passada, uma vez que ele quebrou tarde na sexta-feira, mas nosso Alex Pasternack descobriu que o problema da Rússia no Facebook também se estendeu para o Instagram - um detalhe que a empresa não compartilhou publicamente até que perguntássemos sobre isso.

   Neste ponto, talvez seja melhor perguntar quais redes sociais não foram infiltradas pelos russos. É tarde demais para fazer Ello uma coisa?