sexta-feira, 20 de abril de 2018

Substituição de SMS do Google pronta para ser lançada


   O bate-papo possui recursos como textos de grupo, vídeos, indicadores de digitação e recibos de leitura, que não estão disponíveis no envio de mensagens SMS. Bate-papo será integrado com o aplicativo de mensagens padrão em telefones Android. 

   No entanto, cabe às operadoras móveis habilitar o serviço e não oferecer mensagens criptografadas. O novo sistema está em desenvolvimento há vários anos, mas agora está começando a aparecer em telefones Android.

   Bagunça de mensagens do Android

   O SMS - o serviço de mensagens curtas - foi amplamente adotado nos anos 90. Ele permite que os telefones celulares troquem mensagens de texto básicas de 160 caracteres pela rede móvel. Os modernos aplicativos de mensagens oferecem recursos muito mais avançados e enviam mensagens pela Internet, em vez de usar o SMS. No entanto, o aplicativo de mensagens padrão em smartphones Android - Mensagens - ainda é um cliente SMS comparativamente básico.

   O Google tentou várias vezes lançar seu próprio aplicativo de mensagens móveis, rico em recursos, mas suas tentativas não conseguiram conquistar um grande público. Na quinta-feira, a empresa disse que estava "parando" o desenvolvimento de seu mais recente esforço - o Allo - que foi lançado em 2016.

   Rivais avançados

   Os rivais do Google, como o Facebook Messenger e o WhatsApp, oferecem suporte a recursos avançados, como indicadores de digitação e imagens de alta resolução. Os iPhones da Apple também possuem o serviço iMessage, rico em recursos.

   Desta vez, em vez de tentar lançar outro aplicativo de mensagens, o Google vem trabalhando para integrar um novo padrão de mensagens com o sistema operacional Android. Operadoras móveis, fabricantes de telefones e fabricantes de aplicativos poderão usar a nova tecnologia para desenvolver aplicativos de mensagens compatíveis entre si.

Veja também:

   O padrão é conhecido como o Perfil Universal para Serviços de Comunicação Dinâmica (RCS), mas ele receberá o nome mais fácil de usar do Chat quando for implementado em dispositivos Android. Para desenvolver o chat, o Google trabalhou com mais de 50 redes móveis, incluindo a Vodafone, a T-Mobile e a Verizon e fabricantes como Samsung, LG e Huawei.

   Compatibilidade

   Depois que o bate-papo for lançado em todo o mundo, os usuários do Android poderão aproveitar os recursos avançados ao enviar mensagens para outros usuários do Android. Tal como acontece com o sistema iMessage da Apple, se o destinatário pretendido não tiver um dispositivo compatível com Chat, as mensagens serão enviadas através do sistema SMS antigo.

   O Google enfatizou que o chat não é um novo aplicativo do Google. Como o RCS é um padrão de comunicação, cabe às redes móveis individuais e aos fabricantes de telefones ativar a funcionalidade.
Como as mensagens são enviadas pela Internet, elas não usarão o subsídio de mensagens de texto SMS de um cliente. No entanto, uma operadora de telefonia móvel poderia, em teoria, cobrar dos clientes uma taxa separada para usar o Chat.

   A gigante de comunicações móveis norte-americana Sprint já está fornecendo a funcionalidade do Chat, enquanto a Rogers no Canadá também ativou o serviço. A Microsoft é uma das empresas que tem suporte ao RCS, mas não confirmou se adicionará funcionalidade de bate-papo ao Windows 10. A Apple não se inscreveu no projeto.

Veja também:
   A Samsung, que já substitui o aplicativo de mensagens padrão do Android em seus dispositivos, integrará o RCS com seu próprio software. Especialistas em segurança alertaram que o Chat não oferece comunicação criptografada. Tal como acontece com o SMS, as mensagens de chat não são embaralhadas quando viajam pela rede móvel.

   Anil Sabharwal, do Google, disse ao site de notícias de tecnologia The Verge que "o RCS continua a ser um serviço de propriedade da operadora", o que significa que as mensagens ainda podem ser legalmente interceptadas. A empresa disse que espera que a funcionalidade esteja amplamente disponível em telefones Android dentro de dois anos.